sábado, 25 de dezembro de 2010

QUALQUER MÚSICA

Qualquer música, ah, qualquer,
Logo que me tire da alma
Esta incerteza que quer
Qualquer impossível calma!

Qualquer música -- guitarra,
Viola, harmónio, realejo...
Um canto que se desgarra...
Um sonho em que nada vejo...

Qualquer coisa que não a vida!
Jota, fado, a confusão
Da última dança vivida...
Que eu não sinta o coração!

Fernando Pessoa

3 comentários:

rose prado disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
rose prado disse...

Ricardo, eu apaguei porque ia escrever outra coisa. Depois, fiquei com sono. E agora fica assim mesmo.
Não há o que comentar sobre o magnífico poema. É ler em silêncio , sem qualquer 'música' q não, ele.


Há textos que não pedem nem leitura. rs

RAA disse...

É isso aí!