sábado, 22 de janeiro de 2011

Tornar-se clan
Destino, e esta coisa
Abstracta que se escapa

Escapar das vozes que
Perseguem, e da co-vari
Ância do espaço, a
Ordem dos coexistentes

Dantes o espaço era um
Recife de carcharo
Dontes

Agora é isto: abstracção,
Ou as gélidas correntes de ar
A pairar no suprematista
Esquife

Os objectos animam-se :
Marionetas erectas,
Relógios astutos,
O castelo ciumento
O poço em cio
O labirinto doente
A casa vazia

Lá dentro, bonecos de cera
Com fome de prostitutas

Carlos Couto Sequeira Costa

2 comentários:

Cris de Souza disse...

poemasso!

o desfecho é fatal...

RAA disse...

e bem surreal