quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Non chegou, madr', o meu amigo,
e oj' est' o prazo saído!
          Ai, madre, moiro d'amor!

Non chegou, madr', o meu amado,
e oj' est' o prazo passado!
          Ai, madre, moiro d'amor!

E oj' est' o prazo saído!
Por que mentiu o desmentido?
           Ai, madre, moiro d'amor!

E oj' est' o prazo passado!
Por que mentiu o prejurado?
          Ai, madre, moiro d'amor!

Por que mentiu o perjurado,
pesa-mi, pois mentiu a seu grado.
          Ai, madre, moiro d'amor!

D. Dinis

2 comentários:

rose prado disse...

Olha só, Ricardo, nem uma palavra sobre ele.
http://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Dinis_de_Portugal_(1481)&action=edit&redlink=1

RAA disse...

Não é esse Dinis. O rei nasceu em 1261 e morreu em 1325. Se teclar apenas D. Dinis, vai lá ter.

Normalmente o título "de Portugal" aplicava-se a membros da nobreza que por uma razão ou outra viveram no estrangeiro.

A propósito: um dos filhos de D. Duarte,pretendente ao trono português, também se chama Dinis: http://www.casarealportuguesa.org/