terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Digamos pois que a vida é um teatro,
em que cumpre ao actor fingir com arte:
levando-a a rir, como se fora farsa,
ou digno sendo na tragédia parte.

Paladas de Alexandria

(Jorge de Sena)

2 comentários:

Cris de Souza disse...

esse aplaudo de pé!

RAA disse...

formidável, não é?